5 dicas para criar adaptatividade em seu modelo de negóciosPor que 21% das empresas brasileiras fecham após o primeiro ano e 60% delas encerram as atividades antes de completar 5 anos de existência? A incapacidade de adaptação.

Empreendimentos de sucesso são flexíveis o suficiente para mudar com as mudanças no clima tecnológico. Considerando que, com as empresas que acabam falindo, há uma falta de previsão que poderia ter salvado as mesmas. Faz sentido, certo? A tecnologia evolui rapidamente. Amadurecer com ela é fundamental.

A adaptabilidade é a chave para qualquer negócio de sucesso. Reflete o aprendizado e quanto mais você aprende sobre o seu mercado, melhor você pode ajustar, refinar e otimizar. Aqui estão algumas ideias que podem ser úteis nesse processo:

1. Investir em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento).

Para qualquer empresa, a pesquisa e o desenvolvimento devem ser um dos principais ativos. Isso permite que você se incline para as mudanças do mercado e responda às necessidades do cliente. A experimentação constante pode gerar novas oportunidades (até então) invisíveis para gerar crescimento e valor agregado.

2. Fale (e ouça) seus clientes.

Não tenha medo de feedback negativo. O lado positivo é um grande estímulo para o ego, mas é a crítica contundente que realmente ajuda a impulsionar o negócio. Implemente um sistema escalonável no lançamento que permita que você pergunte regularmente aos clientes o que eles menos gostam, descubra fontes de irritações e forneça feedback honesto e sincero. Na Vitalpet Brasil, fazemos isso por meio da nossa página de contato no site, nas redes sociais e em nossa central de atendimento. Quanto mais você conhece seus clientes, mais flexível pode atender às necessidades deles.

Com isso dito, nem todo feedback do cliente é acionável, ou deveria ser. Seja qual for o seu negócio, invista em análises para corroborar o feedback. Essas ferramentas também ajudarão a identificar os padrões mais evasivos no comportamento do usuário que demonstram mudança das marés.

3. Considere o oposto.

É útil pensar sobre o que sua empresa não é. Por exemplo, se você for uma empresa exclusivamente on-line, avalie constantemente os benefícios de abrir um espaço físico e vice-versa. Isso o ajuda a deliberar sobre novas maneiras de fazer as coisas que podem, em última instância, melhorar as operações existentes.

4. Contrate empreendedores.

Adicionar membros à equipe com experiência empreendedora é uma vantagem. Eles geralmente têm uma visão geral de vários setores com um pensamento novo e criativo que permitirá que sua empresa seja maleável se houver necessidade de mudanças. Eles têm visão e entendem a mudança como progressão. Mais importante, porém, eles entendem o fracasso e como se recuperar por meio da adaptação. Este é um modelo de contratação que o Facebook, em particular, tem defendido com eficácia óbvia.

Obviamente, uma equipe principal composta por empreendedores tem seu próprio conjunto de desafios únicos. Eles podem ser difíceis de reter e podem até se transformar em concorrentes no futuro. Mas o risco vale a pena para empresas em estágio inicial que buscam construir negócios e infraestrutura ágeis.

5. Seja lean, continue lean.

Manter uma empresa enxuta e simplificada torna a flexibilidade possível. Concentre recursos e capital nas áreas principais do seu negócio. Não hesite em trazer parceiros externos para preencher lacunas ou ajudar a executar oportunidades em potencial. Fazer muito sozinho simplesmente não funciona. É caro e de capital intensivo construir unidades operacionais inteiramente novas, divisões, etc.

Você não pode prever com segurança o futuro do mercado ou como as necessidades de seus clientes irão mudar, mas você pode se preparar incutindo flexibilidade em seu modelo de negócios desde o primeiro dia e aumentando-o com um senso real de urgência. Essa flexibilidade permitirá que você navegue e evolua, ao mesmo tempo que o ajudará a ter uma noção dos ventos frontais bem antes de eles chegarem.