O Brasil tem cerca de 40 milhões de pré-diabéticos, 25% deles se tornarão diabéticos em até cinco anos. Manter o açúcar no sangue estável pode até ser uma questão de vida ou morte, e os sintomas comuns de baixo nível de açúcar no sangue incluem febre, ansiedade, fala arrastada, convulsões ou até coma.

Cães diabéticos em alerta podem ajudar as pessoas com diabetes a se antecipar aos sintomas e evitar o agravamento de sua condição ou comprometer sua segurança.

Índice:

Como um cão diabético pode ajudar?

Cães de serviço para diabéticos são especializados?

Seu cão esquecerá de alertá-lo?

Perguntas a serem feitas antes de conseguir um cão de serviço para diabéticos

Arquivos Instituto Meu Cão Companheiro | Nadalin FotografiaComo um cão diabético pode ajudar?

Imagine que você é um entre aproximadamente 10% dos brasileiros que vivem com diabetes. Você verifica o açúcar no sangue entre uma e dez vezes por dia, de acordo com as instruções do seu médico. Seu objetivo é manter o açúcar no sangue estável monitorando-o, alimentando-se de maneira saudável e tomando os medicamentos prescritos.

Agora imagine que o açúcar no sangue comece a cair (ou aumentar) a níveis perigosos. É quando seu cão entra em ação. Seu cão diabético percebe as mudanças sutis em seu cheiro que indicam um problema potencial.

 O cão dá uma patada em você e corre para buscar os comprimidos de glicose, suco ou insulina que você pode precisar para estabilizar o açúcar no sangue antes que ocorra uma emergência.

É um cão diabético alerta no trabalho. Para cerca de 1 em cada 10 brasileiros que vivem com diabetes, a detecção precoce é crítica na prevenção de emergências médicas.

Muitos pacientes diabéticos mais velhos podem correr o risco de doenças cardiovasculares ou outros problemas de saúde, e o diabetes apenas complica as coisas para aqueles que já sofrem de doenças graves.

Cães de serviço para diabéticos são especializados?

Barba tem mais bactérias patogênicas que os cães, diz estudo - Mundo Masculino - iGAssim como os cães-guia, os cães diabéticos em alerta têm um propósito distinto. Como todos os cães de serviço, eles passam por um treinamento extensivo antes de serem combinados com um tutor. As raças mais utilizadas são  Labrador Retriever, Golden Retriever, Pastor-de-Shetland, Poodle, Corgi e Pastor Australiano.

Eles são treinados para detectar cheiros específicos vindos de uma pessoa. Os produtos químicos causam esses cheiros dentro do corpo que alertam o cão sobre as mudanças de açúcar no sangue, mas eles são sutis demais para serem detectados por humanos.

Eles são usados principalmente para pessoas que têm diabetes tipo 1, que não conseguem perceber que o nível de açúcar no sangue está caindo até que esteja baixo demais e se torne perigoso. Os cães treinados alertam seus tutores quando isso acontece e até trazem objetos, como uma garrafa de suco de laranja ou remédio.

Um alerta: cães de serviço diabéticos não são uma solução mágica para quem tem diabetes. “É importante entender as limitações antes de fazer um compromisso de longo prazo (por exemplo, este estudo descobriu que apenas 3 em 14 cães diabéticos de serviço tiveram um desempenho estatisticamente melhor do que o acaso). Os novos proprietários devem se comprometer a treinar continuamente seus cães para garantir que não haja regressão. ”

Seu Cão esquecerá de alertá-lo?

Sim. O Dr. Whittenburg diz: “Freqüentemente, um cão de serviço diabético para de alertar, e o problema quase sempre é que o cão se distraiu de suas tarefas por ser tratado como animal de estimação”.

Trazer um cão de serviço diabético para sua vida é um grande compromisso. Eles precisarão de comida, atenção, treinamento contínuo e cuidados veterinários como qualquer cachorro. Eles podem ser companheiros, mas não são animais de estimação.

Cães são grandes companheiros para os idososPerguntas a serem feitas antes de conseguir um cão de serviço para diabéticos

Os interessados ​​em um cão diabético alerta devem pesquisar a associação de sua escolha antes de tomar uma decisão. Você pode fazer perguntas sobre a eficácia dos cães em detectar alterações de açúcar no sangue e há quanto tempo a organização existe.

Também vale a pena conversar com outras pessoas que têm cães-guia diabéticos para aprender mais sobre suas experiências.

Ao conversar com outros diabéticos que usaram um Cães de alerta para diabéticos, você pode ter uma boa ideia sobre o que esperar. Adotar um cão de serviço diabético não é algo para se tomar de ânimo leve. 

Verifique a reputação

Além disso, você deseja saber mais sobre a reputação da organização. Dr. Whittenburg adverte contra organizações com fins lucrativos e aquelas que oferecem treinar seus animais de estimação existentes como cães de serviço.

Ela diz: “A coisa mais importante a fazer antes de se comprometer com um cão de serviço diabético é pesquisar o serviço ou empresa que fornece o cão e discutir a eficácia de seus cães na detecção de alterações de açúcar no sangue. As associações treinaram cães diabéticos durante anos, e os serviços legítimos fornecerão cães bem treinados e devidamente socializados. ”

Depois de decidir que um cão diabético é o certo para você, haverá um tempo de espera de vários meses a um ano. Isso significa que você ainda precisará encontrar uma maneira de controlar seu diabetes sem um cão.

Como você pode ver, há muito a se considerar antes de investir recursos em um cão de serviço diabético. É preciso encontrar a organização certa, considerando se você está pronto para trazer um cão de serviço para sua vida e se é a maneira certa de tratar seu diabetes. No entanto, se você escolher seguir o caminho do Cães de Alerta para Diabéticos, pode ser muito recompensador.

Um cão de serviço diabético é o certo para você?